As versões piratas do Nintendinho aqui no Brasil

Postado em 12/08/2013.

Ser um gamer no Brasil nos anos 90 não era nada fácil. Na época, o nosso país tinha diversas restrições comerciais devido, principalmente, a indústria externa. E para resolver esse problema, vários produtos foram pirateados do jeitinho brasileiro por empresas daqui. E foi pensando nisso que decidimos criar este artigo, visando expor as versões piratas (clones) do NES que foram desenvolvidas no Brasil. Acompanhe-nos agora e não esqueça de deixar seu comentário no final.

Dynavision IIDynavision II

O Dynavision II foi um dos primeiros clones do NES que saíram aqui no Brasil. Esta versão é basicamente uma remodelação do Dynavision I, da Dynacon (certamente você conhece ou já ouviu falar desta companhia), que era um clone do Atari, mas com CPU e afins do NES, além da entrada para cartuchos refeita. O console vinha com algumas fitas com, simplesmente, “todos os jogos óbvios”, só que com muitas variações e “novas” versões de Tetris, Contra e outros.

Top GameTop Game

O Top Game foi um console fabricado pela CCE. Esse console pirateado chegou a possuir três versões durante o seu ciclo de vida, sendo a da foto acima baseada no design do Atari, o modelo VG 9000.

O Top Game possuía uma vantagem em relação ao Nintendinho original, já que o console possuía entrada para as fitas/cartuchos de 60 e 72 pinos, o que permita o jogador se divertir com diversos jogos japoneses e também americanos.

Curiosidade: A primeira versão do Top Game, o SG-1000, foi um verdadeiro desastre pelo fato de não possuir conexão de controles. Então, caso algum botão do joystick estragasse, você simplesmente tinha que levar o console inteiro para o técnico. Considerando essa ideia, não tinha como uma coisa dessa fazer sucesso aqui, no Brasil.

BitSystemBitSystem

Diferentemente dos outros consoles, você pode encontrar um BitSystem facilmente no Mercado Livre e no eBay. Apesar de parecer um computador e principalmente uma caixa de correio, o design desse console é inspirado no NES. Foi fabricado pela Dismac e possuía entrada para apenas cartuchos americanos, diferentemente do Top Game.

Curiosidade: A empresa Dismac era líder no mercado brasileiro de calculadoras da década de 70 e só na década de 80 ela se aventurou no mercado dos computadores e videogames, chegando ao ponto de representar 20% desse mercado brasileiro nesse período.

Phantom SystemPhantom System

O Phantom System foi simplesmente o clone mais famoso da época. O console foi fabricado pela Gradiente (empresa que viria a representar a Nintendo aqui no Brasil logo à frente. Que ironia, não?) e tinha controles claramente copiados do Mega Drive, da SEGA. O console vinha com uma entrada padrão de 72 pinos e possuía um adaptador de 60 pinos para cartuchos japoneses.

E você, possuiu algum desses clones do Nintendinho? Deixe seu comentário e interaja conosco!




Comentários (0) Comentar

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!