Far Cry Primal - Análise

Recém-chegado na franquia Far Cry, Far Cry Primal está dando o que falar. Confira aqui a nossa análise completa do jogo.

Postado em 01/03/2016.

A franquia Far Cry, em seus últimos dois jogos, colocou os jogadores em enormes mundos abertos com algumas necessidades básicas para a sobrevivência – o que conquistou os jogadores desde o primeiro dia. A boa notícia é que Far Cry Primal não é diferente – você começa sua jornada como Takkar, um verdadeiro sobrevivente com nada mais do que uma tanga e instintos da sua tribo Wenja.

A impressão inicial que tivemos de Far Cry Primal foi muito positiva, pois relata muito bem o seu mundo – os jogadores são apenas jogadores em uma terra desconhecida, sem direção sobre onde ir. De qualquer maneira, é muito fiel a sua proposta inicial.

Ubisoft mandou muito bem sobre a capacidade de Takkar conseguir criar armas artesanais e aprender diversas habilidades. Aprender essas habilidades e desbravar o mundo ao seu redor vale a pena e é, sem dúvida, a melhor parte de Far Cry Primal.

Takkar não só pode criar uma série de armas de uma vez só, mas ele também pode atualizar essas armas pré-históricas a fim de causar mais dano, completar missões primárias e secundárias. Além disso, com a evolução de Takkar o enredo fica mais profundo, pois ele aprende habilidades que o faz ficar temido na terra de Oros.

E sem nenhuma dúvida, a habilidade mais impressionante que Takkar pode aprender é a capacidade de domar animais selvagens. Ele pode recrutar praticamente qualquer predador no jogo para unir forças e lutar ao lado dele. Takkar pode, eventualmente, domar o famoso Tigre de Dente de Sabre e forçá-lo a atacar tribos inimigas.

Depois de terem sido domados, os animais ficam armazenados dentro de um menu lateral e podem ser “solicitados” a qualquer hora. Isto é bem interessante para missões furtivas, pois um Urso das Cavernas pode alertar os inimigos facilmente.

Tigre Dente de Sabre

E quanto ao mundo aberto, a Ubisoft caprichou mais uma vez. Levamos quase 2 horas para ir do ponto mais alto do mapa até o sul. Sim, fizemos todo o caminho a pé e ainda passamos boa parte do tempo afastando alguns lobos (e domesticando alguns), leões e crocodilos durante a viagem, mas ainda sim valeu a pena. Nosso save está com cerca de 15-20 horas de jogo e até agora não conseguimos explorar cada pedaço de terra marcado no mapa.

farcryprimalanalise_01

Talvez o defeito mais frustrante de Far Cry Primal seja o seu sistema de combate. Lutar contra inimigos (humanos) e predadores parece ser mais sobre atacar sem parar, em vez de estratégia e observação. Foram incontáveis as vezes que quase matamos nossos animais domesticados ao tentar afastar um leão faminto. É muito difícil acertar os adversários, com exceção do arco, o qual é como se fosse uma sniper nesse jogo.

Far Cry Primal Arco

Vale a pena jogar Far Cry Primal?

Far Cry Primal possui alguns problemas em sua mecânica de combate, mas nada tão grave. Sem sombra de dúvidas, vale a pena gastar o seu precioso tempo se você está procurando uma aventura de sobrevivência ou se é fã da franquia Far Cry. No entanto, se você não gosta de jogos de sobrevivência e não é fã da série, não gaste com ele.

E você, jogou Far Cry Primal? O que achou? Comente!




Comentários (0) Comentar

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!