Tom Clancy's The Division - Análise

Um dos jogos mais esperados da Ubisoft finalmente foi lançado: Tom Clancy's The Division. Mas e aí, será que houve downgrade? Confira nossa análise!

Postado em 23/03/2016.

Jogamos os betas fechados e abertos, mas ainda tínhamos muitas dúvidas a respeito do mais novo jogo da Ubisoft. No entanto, estamos aliviados, pois alguns dos nossos maiores medos não se concretizaram. Tom Clancy’s The Division ainda contém pequenas falhas, mas claramente estamos diante de algo realmente bom aqui.

Para começar, o jogo está melhor do que o que foi apresentado nos betas. Os efeitos de iluminação – que já estavam incríveis – foram ajustados e melhorados, e o resultado é algo muito mais próximo das cenas do jogo que todos nós vimos em 2013.

Leia também: The Division: realmente houve downgrade?

Os personagens também estão mais realistas. Cada um dos principais NPCs que você vai encontrar ou chefes que vai enfrentar, todos são impressionantes. É como se eles fossem pessoas da vida real, com expressões faciais e movimentos que estão no nível de teatro (da melhor forma possível).

Seu personagem vai ter uma aparência relativamente boa, mas não espere que ele fique como você. O sistema de criação de personagem é bastante limitado aqui. Você tem 8 presets de face para escolher e, uma vez que você escolher, você não poderá ajustar características individuais, como nariz, boca e etc.

tomclancythedivisionanalise_01

Além disso, existem armas de alto nível e armaduras que têm talentos únicos e estatísticas. Cada parte da armadura, por exemplo, irá contribuir com pontos para uma das três categorias: armas de fogo, resistência ou eletrônica.

Muitas armas têm talentos especiais, os quais só vão ativar quando certos atributos atingirem um determinado número de pontos. Temos uma metralhadora equipada como arma secundária e ela vem com um talento que aumenta muito o dano da arma de acordo com cada barra de vida que perdemos. Podemos usar essa arma independentemente das estatísticas, mas para que esse talento ative, nosso agente deve ter no mínimo 130 pontos de resistência. Entendeu como funciona o sistema?

Com o tempo seu agente evolui e você encontra novas armas favoritas, o que amplia a experiência de jogo e mantem tudo muito “fresco”, passando longe de ser enjoativo.

tomclancythedivisionanalise_03

Sim, você pode jogar The Division sozinho, mas é uma chatice. Além disso, jogar sozinho é infernalmente difícil depois das primeiras missões. O jogo é brilhantemente diversificado e enquanto você estiver pegando missões apropriadas para o seu nível, você vai descobrir que até mesmo missões secundárias são realmente desafiadoras.

E mesmo jogando em grupo, as coisas não vão ser tão fáceis assim. Na noite passada, jogamos com um grupo de 2 agentes por cerca de meia hora. Matamos bandidos, revivemos uns aos outros várias vezes e, finalmente, fomos chamados para a extração. Assim que o helicóptero chegou e jogou a corda para subirmos, os dois “amigos” nos mataram com C4, roubando quase todo nosso XP. Existe essa possibilidade do agente lhe trair no final de cada missão a fim de ficar com todo o XP da missão, mas acreditamos que, com o passar do tempo, essa novidade vai virar bagunça.

Vale a pena jogar The Division?

tomclancythedivisionanalise_02

Jogo coop sempre é uma alegria! Partidas divertidas com amigos e/ou desconhecidos que com certeza tomam boa parte do seu tempo livre. Em Tom Clancy’s The Division você vai lutar contra o sono, pois o jogo é realmente viciante. É um vício tão contagioso quanto o vírus fictício que está varrendo Nova York. A espera valeu a pena, pois o jogo está realmente fantástico. Enfim, te esperamos lá no Brooklyn!

E você, gostou de The Division? Comente!




Comentários (0) Comentar

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!